Inspire-se nestas iniciativas para organizar o #diadedoar

Falta pouco para o dia 29 de novembro, mais um passo para promover a cultura de doação e a solidariedade.

No Brasil, organizado pelo “Movimento por Uma Cultura de Doação”, o #diadedoar tem despertado a criatividade e a capacidade estratégica das organizações da sociedade civil para driblar a crise econômica, as desconfianças de alguns sobre a seriedade do setor, dentre outros impasses que ainda prejudicam a dinâmica de doação no País.

Segundo relatório dos organizadores (resultados colhidos até 2 de novembro), 26 organizações e pessoas físicas registraram no site da iniciativa suas ações e expectativas para o dia 29.

A Mobiliza teve acesso a esse compilado. Destacamos aqui algumas informações interessantes e inspiradoras para quem ainda não se organizou, mas pretende participar do #diadedoar.

A primeira delas é que os registros, em sua maioria, são de instituições e pessoas da região Sudeste e Sul. Apenas duas ONGs do Nordeste e uma do Centro Oeste compartilharam suas experiências. O Estado com mais manifestações é São Paulo, seguido por Minas Gerais e Rio de Janeiro.

As organizações da sociedade civil são a maioria, ficando em segundo lugar iniciativas de igrejas e, em terceiro, de empresas e pessoas físicas.

Os objetivos das ações pensadas para o dia 29 dividem-se em três áreas distintas: arrecadar fundos, divulgar a causa e o trabalho da instituição e divulgar o #diadedoar.

Com relação à arrecadação de recursos, a maioria pretende dedicar-se a ampliar os valores captados pelas suas instituições, mas há um grupo considerável de iniciativas que deseja fazer a captação (especialmente de alimentos, brinquedos e roupas) para compartilhar com outras organizações. As pessoas físicas que registraram suas ações no cadastro do site estão focadas em mobilizar indivíduos e empresas para fortalecer a cultura de doação e apoiar as diferentes ONGs dos locais onde vivem. Ou seja, são cidadãos que estarão a serviço de diferentes causas, como porta-vozes e articuladores do #diadedoar.

As muitas estratégias

ddd_redessociais5-002

Apenas duas ONGs presentes no relatório usarão plataformas de financiamento coletivo (crowdfunding) para arrecadar fundos ao seu trabalho (Associação Nova Ubiratãnense de Judô, no Mato Grosso, e Instituto Escuta, em São Paulo), no #diadedoar.

Algumas organizações estarão focadas na propagação da causa, sendo que não usarão a data para angariar recursos em dinheiro. Uma delas deseja ampliar o número de doadores de medula óssea (Grupo de Apoio Amigos da Medula, de Taubaté, SP). Já o Instituto Pró-Diversidade aproveitará o evento para fomentar a importância da leitura, do desapego e do consumo consciente, com doações e trocas de livros e brechó solidário, dando roupas e sapatos a quem não os tem.

O #diadedoar também será o ponto de partida de campanhas de Natal de algumas instituições, especialmente as ligadas a igrejas. A confecção de cestas e de ceias são alguns dos objetivos da arrecadação de alimentos e brinquedos que irão promover entre os fiéis, mas, também, nos comércios, escolas e famílias de suas localidades.

Há também quem primeiro mostre os resultados para depois pedir doações, como é o caso da Associação BANGUELA, de Goiás, que realizará a exposição dos trabalhos das crianças atendidas e promoverá palestras, tudo com o objetivo de fortalecer parcerias e sensibilizar novos doadores.

Algumas ONGs, como a Pequeno Cotolengo Paranaense, de Curitiba, PR, partirão de sua estrutura interna para angariar recursos, definindo objetivos e metas para cada área da equipe, como a de telemarketing e de relações institucionais.

Outras estão planejando ações distintas para fora e para dentro da instituição. As externas vão arrecadar recursos para si. As internas serão dedicadas a outras organizações, como a de estimular a doação de sangue ao hospital da cidade (Instituto Tibagi, do Paraná) ou de recursos, por meio do imposto de renda, ao Conselho da Criança e do Adolescente (CMDCA), que é o caso da Casa Transitória André Luiz, de Sorocaba, SP.

A Acorde Direitos Humanos, de São Paulo, contou que usará o evento para motivar a doação única, por meio de campanha nas redes sociais e site. Doadores que disponibilizarem mais de 100 reais à causa participarão do sorteio de uma camisa autografada do jogador Neymar.

O Museu de Arte Sacra de São Paulo também aderiu à campanha. A ideia é mostrar a importância da manutenção do patrimônio histórico da cidade, com exibição de filme e debate, sensibilizando as pessoas a também contribuírem à causa.

Em Fortaleza, CE, a ONG Pequeno Cotolengo Dom Orione começou a campanha há algum tempo. No dia 29, realizará a Festa da Gratidão, com música e outras atividades que envolvam a população para que dê continuidade ao ato de doar.

Na cidade de São Paulo também haverá uma festa, promovida pela Brasil Tomorrow e a Vila Butantan. Será um happy hour de encerramento no #diadedoar. O ingresso é o comprovante de doação na plataforma de crowdfunding Juntos.com.vc .

O papel das empresas e do poder público

O #diadedoar será divulgado na plataforma Doebem (que abrange São Paulo e Rio de Janeiro) para as pessoas doarem e as ONGs interessadas se beneficiarem dessa ferramenta.ddd_redessociais2-002

Outra ideia interessante é da empresa OrganizandU, que elaborou uma campanha para selecionar duas ONGs de São Paulo, dentre as que se inscreverem no site, que ganharão a organização de um espaço (bazar, cozinha, oficina etc.), com o objetivo de tornar o cotidiano mais prático, sobrando tempo para dedicarem-se à causa.

Mas as iniciativas também passam pelo poder público. Limeira, no interior de São Paulo, é a primeira cidade brasileira a instituir o #diadedoar como uma data oficial de promoção da doação e solidariedade, seguindo o exemplo de Baltimore, nos EUA.

Para Joana Mortari, da Associação Acorde, uma das instituições organizadoras do #diadedoar no Brasil, a iniciativa levanta um aspecto cultural importante sobre o qual precisamos refletir. “Este dado aparece na pesquisa ‘Doação Brasil’, apoiada pelo Movimento por uma Cultura de Doação: o brasileiro não fala que doa. Doar não é tema de nossas conversas. Os motivos para isso podem ser vários, como os valores trazidos pela formação religiosa que recebemos. Agora o #diadedoar vai lançar a campanha ‘Minha história de Doação’, estimulando as pessoas a dividirem suas histórias para serem influenciadores de suas redes. Sabemos que os países em que os indivíduos têm uma postura oposta, de contar sobre suas doações, a cultura de doação é mais viva e desenvolvida. Talvez esteja na hora de re-significar o sentido da doação, de rever nossa postura para que possamos impactar outras pessoas”.

Todas as novidades e outras inspirações para você agitar o #diadedoar na sua comunidade, empresa, escola, cidade ou organização você encontra no site da iniciativa, clicando aqui, ou na página do Facebook, com atualizações diárias.

Se quiser saber mais sobre a origem e significado desse dia, acesse a entrevista que fizemos com os idealizadores da iniciativa. Clique aqui para assistir ao vídeo da campanha.

Ainda dá tempo! Não deixe de participar e promover uma cultura de doação que fortaleça uma sociedade mais solidária, justa e digna para todos nós!

QUER SABER DAS TENDÊNCIAS EM IMPACTO SOCIAL E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS? CADASTRE-SE

mobiliza-fundo

Entre em contato e solicite uma conversa (13) 99715-7973 ou contato@mobilizaconsultoria.com.br